Outros Ares #2 (Marcelino Freire)


Os ares são novos e outros, mas a ideia continua a mesma: publicar bons contos, fazer boas entrevistas e continuar mantendo este espaço para divulgação da literatura curta sendo produzida no Brasil.

Antes de apresentarmos os contistas desta edição, é preciso dar um puxão de orelha (de leve) e apresentar uma novidade. O puxão de orelha é que alguns contistas não leram as regras direito e mandaram contos ultrapassando o máximo de caracteres permitidos pelas regras da revista. Infelizmente, estes são eliminados diretamente. Depois de muita deliberação, resolvermos ser sérios nisso. Afinal, são tão poucas regras, se não as respeitarmos…

Em termos de novidade, tivemos a honra de receber contos de amigos escritores que querem apoiar a revista. Claro que o objetivo original é publicar material de escritores inéditos, mas seria um absurdo receber contribuições espontâneas de bons escritores já conhecidos e publicados, e não mostrar aos nossos leitores. Por isso criamos a nova seção Bônus, como se fosse um CD com músicas não esperadas. Nesta edição, temos a participação de Charles Kiefer e Ronaldo Cagiano. Essa seção só existirá quando recebermos contos de escritores que queiram prestigiar a revista.

Agora, à Outros Ares número 2. Neste número, um dos contistas contemporâneos mais conhecidos (contista mesmo, sem nenhum romance publicado): Marcelino Freire. Além de responder a nossas perguntas, ele conta sobre o projeto Edith – nova editora voltada a publicar autores inéditos – que nasceu das suas oficinas literárias. E também mostramos com exclusividade um conto dele que sairá no livro “Amar é crime”, a ser publicado em julho também pela Edith.

Entre os contos escolhidos desta edição, temos o paulista Willian Novaes, com o conto “Uma bola e as crianças“, o “conto de futebol” da edição, como aconteceu no primeiro número.

O carioca César Cardoso distorce o amor infantil no excelente conto “O castigo“. O baiano Marcondes Araújo faz algo parecido, mas com as avós, no conto “Piolhos-de-cobra“.

E, para terminar, o gaúcho, mas com vontade de ser portenho, Marco Cavalheiro discorre sobre o “Inatingível” numa mistura de conto, crônica e micro-ensaio.

A foto da capa desta edição é de bobguima, persona artística do paulistano Roberto Guimarães. Jornalista e músico, por ora ele ganha a vida na Bizu, estúdio de criação que comanda ao lado da mulher, a artista visual Ana Starling.

Como sempre, a revista também pode ser lida em formato ePub e Kindle, é só clicar nos links.

A partir desta edição, a data para saída é o primeiro domingo de cada mês, ou seja, a próxima estará online no dia 03 de julho. Os contos devem ser enviados até dia 25 de junho. Podemos ser encontrados no FacebookTwitter ou direto no email: revistaoutrosares @ gmail. com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s