A caixa de vinhos

Roberta Caldo

Era um sábado, lindo. Queria levantar cedo, correr, tomar sol, mil coisas. O alarme do smartphone lembrou: tem entrega de uma caixa de vinhos em casa, 9 da manhã.

A ressaca do dia anterior bateu como testa na parede. Branca. Sentou no sofá pra lembrar.

Tudo começou na quinta-feira. Uma esticada despretensiosa para uma degustação de vinho. Nacional mesmo. Casal entrosado, acharam até que eram donos de restaurante. Riam, falavam besteiras, rumavam do prosecco ao tinto sem nenhum pudor.

E sem pudor nenhum, terminaram aquela noite nos braços um do outro, como se não houvesse amanhã.

A sexta-feira se arrastou e tudo o que ela queria era estar de óculos de sol em tempo integral. Nem pensou em nada, não havia um mínimo de bom senso, não havia convicção. Impossível não relembrar de um tudo um pouco e um tanto mais.

Era a terceira vez que tentavam retomar a amizade. Coisas demais em comum, terminando frase um do outro, compartilhando ideias, filmes, músicas, dramas e de um tudo um pouco e muito mais.

Eram mais de duas da manhã. Ela já tinha escrito um pouco. Digitou um torpedo mas apagou a tempo. Navegou pelas redes sociais mas saiu sem dizer o que não poderia. Porque dever, devia. Um pouco de tudo e de um tudo, tudo também.

Olhou pra caixa de vinhos, combinado dividir.

Mas que vinho bom, né? Tannat, 2004.

Ficou com a caixa toda.

Jornalista, viajante, fotógrafa. Saí da faculdade convicta de que jamais trabalharia em TV, onde fiz carreira por mais de dez anos. E passei mais uma década em frilas e assessoria de imprensa, onde escrevo matérias, artigos e quetais, só pra contrariar a tese de que o pessoal de TV não sabe escrever. Não tenho blog nem livro nem site, algumas fotos navegam por aí e de vez em quando rascunho nas redes sociais. Um dia me organizo pra escrever mais. Paulista, moro em Brasília, sou feliz.

Leia a seguir: Atlas, atrás.

Publicidade

9 comentários em “A caixa de vinhos”

  1. Realmente, uma caixa de Tanat… Não dá para resistir… Sabe o que me impressionou, Roberta? Pensar que dá uma vontade danada de sofrer essa ressaca… Oxalá se organize para escrever mais. Devia.

  2. Até que enfim volto a ler os seus escritos, o que faço desde que vc.já escrevia poemas aos 9 anos! Invista mais nessa seara, vc. promete… bjs. da mamis

  3. RÕ: Só hoje consegui chegar nesta sua msg. São tantas msgs, muita coisa boa e também muita porcaria.
    Mas esta sua msg é ótima. Li os comentários acima: várias pessoas lhe
    cumprimentam, esperando que Você continue escrevendo. Criar textos,
    histórias, narrativas e fazendo com que os leitores participem desses contos é uma coisa maravilhos.
    Tomara que Você transforme isso em sucesso profissional. Mas mesmo
    que isso não aconteça, sinta-se parabenizada especialmente por mim pe-
    la iniciativa que tem. Vou aguardar novas historias suas.]
    PS: Venho recolhendo textos, criando textos, histórias reais ou não reais, mas também sou um péssimo escriba. Aliás tem uma carta sua que esta
    num dos meus diários. Quando passar por ela volto a lhe escrever.
    Parabéns Rô! Continue e conte comigo se eu puder ajudar.
    Grande abraço. – guga 12-10-2011

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: